AGQ Brasil | Entenda o que é ciclo PDCA e como aplicá-lo na Gestão da Qualidade
17819
post-template-default,single,single-post,postid-17819,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,translatepress-pt_BR,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Entenda o que é ciclo PDCA e como aplicá-lo na Gestão da Qualidade

Entenda o que é ciclo PDCA e como aplicá-lo na Gestão da Qualidade

O ciclo PDCA é uma das principais, mais simples e eficazes ferramentas utilizadas para promover a melhoria contínua de processos nas organizações.

Gerir processos, pessoas e indicadores é um desafio que demanda, entre outros fatores, grande capacidade de organizar e sistematizar ações. Já escrevemos anteriormente em um artigo sobre ferramentas da qualidade, por exemplo, que não existe qualidade sem organização, e não existe organização sem metodologias e técnicas efetivas. Portanto, garantir a Gestão da Qualidade passa inevitavelmente por conhecer e aplicar as ferramentas mais adequadas a cada situação e contexto organizacional. Uma delas é o ciclo PDCA, ferramenta relacionada à melhoria contínua e tema do artigo de hoje.

 

O que é o ciclo PDCA

PDCA é um método interativo para gestão em quatro passos simples e relacionados entre si. Eventualmente chamado também de ciclo de Deming ou ciclo de Stewart, o nome mais comum, PDCA, refere-se à sigla formada pela letra inicial das palavras que compõem cada uma das quatro etapas. São elas, em inglês, Plan (planejar), Do (fazer), Check (checar) e Act (agir). Assim, a ferramenta permite a promoção cíclica de controle e melhoria contínua em processos, produtos e serviços.

Trata-se de um modelo simples e que pode ser implementado em organizações de qualquer porte, atuantes em todos os segmentos de mercado. O importante para obter sucesso na aplicação do ciclo PDCA é realizar cada uma das etapas da maneira correta e, tão importante quanto, jamais executá-lo apenas uma vez. Resultados positivos só podem ser obtidos mediante uso recorrente.

 

Como aplicar o ciclo PDCA

Por se tratar de uma ferramenta de suporte à melhoria contínua, uma das premissas na aplicação do ciclo é a repetição. O ponto de partida sempre será o planejamento, mas o processo não termina na quarta etapa. Pelo contrário, ele recomeça com novos planos aprimorados após a fase de ação. Na prática, as quatro fases do ciclo PDCA funcionam da seguinte maneira:

  1. PLAN (planejar)

A etapa de planejamento tem início com a definição de um problema. Pode ser a melhoria de um processo, a garantia de qualidade em um produto, enfim, qualquer tipo de resultado pretendido pela empresa. Nessa fase serão definidos objetivos, metas, prazos e outros detalhes, estruturados em um plano de ação a ser seguido na etapa seguinte.

  1. DO (fazer)

Em seguida tem início a fase de execução, propriamente dita. As tarefas planejadas na etapa anterior serão colocadas em prática pelos profissionais e setores responsáveis, seguindo as diretrizes de plano de ação. É fundamental que as atividades ocorram de acordo com o planejado e que sejam colhidos dados para avaliação posterior.

  1. CHECK (checar)

Na  terceira parte do ciclo ocorre a verificação de resultados. A análise, sempre realizada após a execução completa do planejamento, será a responsável por checar indicadores, comparar e interpretar dados, transformar pontos de melhoria em melhoria, de fato. Ainda que a ação tenha ficado aquém do planejamento, é neste ponto que ocorrem ajustes.

  1. ACT (agir)

A fase de ação, que encerra o primeiro ciclo, é marcada pela correção das falhas iniciais do planejamento e pelo aprimoramento das atividades realizadas na execução. É o primeiro passo para a melhoria contínua, na medida em que promove as adequações necessárias para obter resultados. Fim do processo? Negativo. A etapa seguinte é o retorno ao início do ciclo.

Portanto, o ciclo PDCA está diretamente conectado à Gestão da Qualidade, sendo capaz de promover soluções coletivas e eficazes nas organizações. O método também se relaciona com as Normas ISO, sobretudo à ISO 9001. Baseada no mesmo princípio da melhoria contínua de processos internos, a Norma pode ser considerada um PDCA, na medida em que o atendimento a seus requisitos exige planejamento, desenvolvimento, checagem e ação, promovendo padronização a nível internacional nas organizações certificadas.